Banner

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014



Narrativa que lembra um conto de fada, porém verdadeira. Uma mulher muito pobre, extremamente tímida, sem perspectivas de vida e depressiva - a ponto de pensar em se matar - que recebe um inusitado convite para fazer uma viagem na garupa de uma motocicleta. Em um ato de coragem, que na época classificou como insano, aceitou a proposta, deixou seu emprego de doméstica e conseguiu mudar sua personalidade e sua vida.
A partir daquela importante decisão, percorreu 114.000 quilômetros como garupa em três grandes viagens, que a permitiram conhecer todos os países continentais das Américas, desde seu extremo Sul, Ushuaia – Argentina, até seu extremo norte, Prudhoe Bay - Alasca.
Além do território internacional, ela conheceu, também, quase todas as praias do litoral brasileiro, sobretudo do Nordeste, onde passou mais tempo.
Aventura e emoção entremeadas com reflexões pretéritas e futuras: assim é a narrativa da protagonista que expõe, entre outras, a vergonha que teve ao ficar completamente nua em duas praias de nudismo; o desconforto de trafegar por estradas não pavimentadas da inóspita Patagônia e do norte do Alasca; a admiração pelas ruínas Incas, no Peru, e Maias, na Guatemala; o encantamento com a Disney e as grandes cidades americanas e canadenses, como New York e Toronto; e o medo que sentiu nos cinco dias que passou dentro de um pequeno veleiro, no Mar do Caribe, entre o Panamá e a Colômbia.
Quando terminou essas viagens, esta mulher concedeu diversas entrevistas para jornais, rádios e televisão com admirável desenvoltura, dentre elas para o jornal The New York Times. Em nada lembrava aquela pessoa introvertida do passado. Os surtos depressivos ainda a rondavam, mas as manifestações eram menos frequentes e já conseguia prevê-las com antecedência. Com a ajuda de VD, seu companheiro de viagem, passou a identificar a natureza de seus pensamentos depressivos e a evitá-los.
Neste volume serão narradas as viagens à Terra do Fogo, Patagônia, Deserto do Atacama e Nordeste brasileiro.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Vídeos preparado por amigos após o retorno


Vídeos preparados por amigos:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=czU-o0DqLCk

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=aHidTHbomkE#!

sexta-feira, 9 de março de 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

23/01/2012 - Prestaçao de contas


Nesta viagem foram 18 países visitados mais o Alaska que é um Estado Americano mas, para efeito de viagem, pela distância e tamanho, podemos contá-lo como país. Considerando a viagem ao Ushuaia em 2009 posso afirmar que conheços todos os países CONTINENTAIS das Américas do Sul, Central e Norte, com suas respectivas capitais.
Precisava de um indicador para contar quantos amigos consegui com essa viagem, mas será muito difícil, por isso fica valendo somente o contador de visita do meu blog.


Obs.: Para transformar em dolar divida os valores por R$ 1,80
Prestação decontas dos: 270 dias

Anterior mês atual Acumulado (R$) Media (R$)
Litros 3.175,45 353,56 3.529,01 16,17
Gasolina 6.080,31 626,63 6.706,93 24,84
Alimentos 7.565,03 1.064,39 8.629,42 31,96
Passeio 1.609,02 726,90 2.335,92 8,65
Moto 4.223,32 90,00 4.313,32 15,98
Hotel 3.253,90 698,89 3.952,79 14,64
Aduana 964,70 102,00 1.066,70 3,95
Pedágio 253,02 1,48 254,50 ,94
Avião/barco 4.206,78 ,00 4.206,78 15,58
Roupas 2.613,51 14,81 2.628,32 9,73
Medicamentos 272,88 115,56 388,44 1,44
Equipamentos 1.027,98 ,00 1.027,98 3,81
Outros 475,65 88,24 563,89 2,09
Patrocínios

-880,00
TOTAIS 32.546,08 3.528,91 35.194,99 130,35





Inicial Atual Rodado Media
Odômetro 56345 113411 57066 211,36





Preço médio por litro de Gasolina (R$) 1,90

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

21/01/2011 - Sábado a Chegada









Quem quiser ver mais fotos é só entrar no site:http://www.motropolis.com.br/


Nunca tive aspiração à fama. Minha maior vaidade até hoje foi buscar reconhecimento profissional, mas sem expectativa de ser notícia ou tema de reportagem. Mesmo quando assumi um cargo público aqui em Morrinhos, evitava ao máximo fazer parte de mesas de autoridades ou subir em palanques de inaugurações ou comemorações.

A mãe das minhas viagens, foi a que realizei ao Ushuaia; sonhada e planejada por mais de dez anos, mas sempre com objetivos pessoais. Era para curtir a aposentadoria como se estivesse me prometendo um prêmio por serviços prestados. Durante a viagem mantive um blog apenas para acompanhamento dos amigos mais próximos.

Com a viagem ao Ushuaia, o motociclismo entrou no sangue e surgiu a viagem ao nordeste brasileiro e depois, deu estalo, e pintou essa vontade de ir ao Alaska. Mas sempre sem aspiração de ser famoso.

Porém, hoje, não tive como segurar a vaidade. Ela entrou dentro de mim e fez um limpa na minha mente. Toda as cenas e eventos ocorridos durante a viagem sucumbiram frente a ela, naquele momento. Quando vi uma parede de fotógrafos na minha frente, como se fôssemos celebridades, a vaidade me tomou.

O consolo é que, no motociclismo, duas palavras não têm conotação pejorativa: vaidade e inveja. Qualquer motociclista diz que tem inveja da nossa viagem e mesmo assim é uma pessoa feliz e saudável. A vaidade é outra marca forte do motociclismo: botas, jaquetas e motos incrementadas são usadas para esse fim.

Encontrar mais de duzentas pessoas aglomeradas esperando pela nossa chegada na Cical Honda da Av. 136, em Goiânia; entrevista para os principais jornais da capital, responder à dezenas de perguntas formuladas pelos motociclistas ali presentes, quase todos pedindo para sair em fotos com a gente, foi um choque. Esperava alguns motociclistas mais conhecidos, mas aquela festa toda, nunca!

A Cical Honda tinha preparado um grande banner com nossos nomes e nossa viagem; um casal de Morrinhos, Luis e Ana, pessoas que moram a pouco tempo na cidade, os quais nunca tínhamos encontrado antes, nos mostra seu carro com os três vidros traseiros (dois laterais e o traseiro) totalmente cobertos com grandes plotters (adesivos) contendo nossos nomes, fotos e informação sobre a viagem.

A saída e o percurso até Morrinhos foi algo cinematográfico. Algumas pessoas dizem ter contado mais de 600 motos mas eu fico satisfeito com o número de 300. Na posição que eu estava, na frente do comboio, não tinha como eu saber quantas. Nas grandes baixadas, quando eu estava terminando de subir, olhava pelo retrovisor e não via fim da fila atrás. Três batedores da Polícia Rodoviária Federal, nas suas Haley's, organizava o comboio e o trânsito. Um ia na frente, outro no meio e um terceiro fechando o grupo.

Quando chegamos no trevo de entrada de Morrinhos deparamos com mais algumas dezenas de motociclistas nos aguardando, além do Prefeito Cleomar Gomes e outras autoridades. A polícia Rodoviária Federal, pacientemente, comandou um giro pela cidade com os motociclistas fazendo um “buzinaço”. Achei muito legal a forma como os Policiais Rodoviários vieram despedir da gente. Eles que são autoridades importantes, inverteram a ordem para nos tratar como autoridades. Estou escrevendo isso não por vaidade minha, mas para demonstrar que são pessoas legais e humanas. Naquele momento estavam despedindo não do Sinomar ou da Edivânia, mas de motociclistas como eles.

Num clube da cidade um almoço nos aguardava; também, nos aguardavam, diversos motociclistas de Uberaba, Uberlândia e São Paulo que não tiveram como ir até Goiânia. Novamente repetiu-se toda a receptividade de Goiânia, fotos e mais fotos, além de entrevistas para a TV Morrinhos e jornais locais.

Por vota das 16 horas já não conseguia mais falar. A garganta que não estava boa por causa de um resfriado, pirou e eu tive que me recolher em casa e perdendo toda a festa que rolou noite a dentro. Três bandas de Rock tocaram até de madrugada, além de uma janta servida mais tarde.

Agora, passado toda a festa, vou jogar a vaidade no lixo e reconhecer que tudo isso aconteceu por causa de uma pessoa muito especial: o Rui Leite. O Rui é uma pessoa muito querida no meio motociclístico e um exímio organizador de festa. Anualmente ele organiza o Encontro Nacional de Motociclismo em Morrinhos que a cada ano fica melhor do que o ano anterior. Seu aniversário é no dia 22/01, mas ele aproveitou para comemorar no dia da minha chegada que foi hoje.

Muito obrigado, irmão! Você realmente é um grande amigo: ceder a festa do seu aniversário para comemorar minha chegada, demonstra muito despreendimento da sua parte.

Gostaria de agradecer os amigos que vieram e os que não puderam vir. O apoio de vocês foi muito importante.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

20/01/2011 - sexta-feira - Goiânia - Video estrada Machu Picchu

Amanhã será o grande dia do meu retorno à Morrinhos. Para os amigos que não puderem comparecer ao evento da minha recepção na Cical Honda da Av. 136 ou em Morrinhos, segue mais um vídeo para curtirem.

Esse vídeo mostra um grande sacrifício para economizar. Para evitar o pagamento de U$ 100,00 pelo trem que leva os turistas entre cusco e Machu Picchu, nos propusemos ir de moto. Foi bem sofrido, mas valeu a pena.O cenário onde dormimos acampados é cinematográfico.

O Video: